segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Atitude é Tudo

ATITUDE É TUDO!

“Melhor do que acrescentar dias à nossa vida é acrescentar vida aos nossos dias”, já dizia Benjamin Franklin. Quando releio esta frase ou  ouço sempre me lembro de um fato curioso em meu primeiro emprego.

Em nossa vida, por incrível que possa parecer, sabemos o que fazer, como resolver os problemas da família, do vizinho, e até do país, mas, encarar nossos próprios revezes é outra história, não é mesmo? Para vencer é preciso atitude. A vida só recompensa a ação.

Pensando nisso, que tal agir? Mas agir com inteligência, com o foco no resultado.

Aqui vai algumas dicas.

Tenha sonhos. O sonho é o alimento da alma. Todo projeto começa por um sonho. A rotina, a mesmice nos faz deixar de sonhar. Sonhar em demasia leva à loucura... Mas, a ausência de sonhos suga a vida. Readquira sua capacidade de sonhar e nunca a perca de sua mente. Muitas vezes nos pegamos desistindo de sonhar, abatidos pela realidade imposta no dia-a-dia. O sonho é o primeiro passo para a realização de seus objetivos. Mire-se no exemplo de Walt Disney, que construiu o maior parque de diversões do mundo em cima de um pântano: “- Se nós podemos sonhar, podemos fazer” – já dizia o grande mestre. Mas, lembre-se: todo sonho deve ter data marcada para acontecer. A mágica deve se tornar realidade.

Nada na vida acontece por acaso. Não ouça a história, viva a história faça história. Para ganhar na sena acumulada é preciso jogar. Nada acontece de repente, por mais que assim pareça. Tudo é conseqüência de suas decisões, sejam pequenas ou grandes. Portanto acredite! Você, somente você, é o maior responsável pela sua vida. Desenvolva a sua carreira passo a passo, de forma sustentável. Sorte só existe para quem está preparado. E entenda que por mais que você planeje, sempre haverá um imprevisto, uma perda de emprego, de uma promoção, de um grande amor... Sendo assim, adote a incerteza em sua mente, tendo a convicção de que, por vezes, é preciso mudar o caminho, aceitando o novo. Nunca se esqueça de que as poucas coisas certas que existem são a mudança, a morte e o pagamento e aumento de impostos (esse último é sempre uma certeza)... Retire as palavras “estabilidade” e “segurança” de seu dicionário. Elas não existem mais no mundo de hoje. Resumo da ópera: trace o seu plano, coloque-o em prática, esteja sempre preparado para o inusitado e, por fim, tenha fé.

Faça o seu melhor, com aquilo que Deus lhe deu. Todos temos dons. Todos, sem exceção, temos algo de bom, de diferente e para melhor. Deus lhe premiou com muitas coisas boas e com algo que somente você pode fazer melhor do que outros. Então, vá à luta! Acredite em seu diferencial. Descubra-o. Ele pode estar mais próximo do que você pensa. Você é um dos melhores do mundo nesse seu dom. Exercite-o! Persista em seu objetivo. O que você faria até de graça, simplesmente pelo prazer de fazer? Existe algo que você faz em que não vê o tempo passar? Pense nisso. O seu talento escondido pode estar aí.

Resgate o seu lado criança. Volte a sonhar, a ser mais criativo, mais entusiasmado. Crianças não acordam tristes, estão sempre criando, imaginando. Não têm medo de errar, gostam de experimentar. Perceba: estamos na era do experimentar. Estamos experimentando novas formas de relacionamento com os clientes, novos hábitos de vida, novas tecnologias. Temos test drives com carros, motos, barcos; provedores de internet nos oferecem horas gratuitas; várias revistas nos oferecem edições cortesia por semanas contínuas; provamos tipos e tipos de bebidas e alimentos em supermercados e shoppings... Não há crescimento sem o experimento. E o que vale é a realidade, não a simulação, apesar de sua grande importância. Crianças não temem o ridículo, não pensam no que os outros vão falar ao fazerem seus “experimentos”. Quando castigadas, rapidamente voltam a sorrir, a brincar, não guardam mágoa no coração, sabem perdoar. Aprenda com as crianças.

Aprenda a continuar aprendendo. O aprender é eterno. Muitas pessoas, após concluírem a universidade, nunca mais voltam a estudar, ou seja, nunca mais se reciclam. Responda rápido: quantos livros você leu nos últimos seis meses? O capital intelectual hoje está por todos os lados: na empresa, nos fornecedores, nos clientes, na comunidade, na concorrência, na web. Seja muito bom em alguma coisa, mas tenha uma noção de cada processo existente em sua empresa. Estude assuntos pertinentes à sua profissão, mas não se prenda demais a eles. Procure ler sobre ficção, romances, aventuras. Enfim, diversifique. Não fique preso a um único tema. Tenha hobbies, como pintura, fotografia, esportes... Algo não relacionado ao seu trabalho. Lembre-se: hoje os tempos são de multifuncionalidade com flexibilidade e adaptabilidade.

Recicle-se e compartilhe conhecimentos. A melhor forma de aprender, de renovar, é contribuir para que as pessoas ao seu lado tornem-se melhores do que você. O jeito mais fácil de crescer, de subir na vida, é ajudando aos outros. Procure lembrar dos seus melhores ex-chefes ou ex-gerentes. Aposto que eles tiveram participação decisiva em seu crescimento pessoal e profissional. De alguma forma, doaram o seu maior patrimônio: seu conhecimento e sua experiência. A melhor forma de compartilhar conhecimentos é contando histórias. Histórias nos fascinam. Portanto, seja um excelente contador de histórias. Hoje se fala tanto em organização virtual, comitês de clientes... Mas para o sucesso destas investidas, precisa-se, em torno das mesmas, de pessoas dispostas a adquirir e compartilhar conhecimentos. O verdadeiro poder está no compartilhar e não em reter conhecimentos. Não são as pessoas que produzem qualidade: são os relacionamentos que existem entre elas. Se os problemas hoje estão todos interligados, é preciso ter eficácia nos relacionamentos para gerar soluções duradouras. Network, lembra-se? Avaliação de desempenho hoje é simples. Basta uma única pergunta: “Quais são os seus resultados?” Transforme empenho em desempenho. Atualmente, o que conta são os resultados, os fatos concretos, preferencialmente mensuráveis. Como uma andorinha só não faz verão, relacione-se, promova o espírito de equipe.

 





Agora é hora de agir, experimentar, tomar uma atitude para ter uma bela, longa e realizada jornada. Não espere mais. Assimile estas dicas dê a partida na sua viagem marujo !

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Planejamento Estratégico

Um dos fatores de sucesso das empresas é possuir um bom planejamento e de uma forma muito simples mostrarei como pode ser feito na sua empresa. Mas o que é planejamento? Nós planejamos diariamente, planejamos nossas atividades, nossas finanças, até a nossa vida pessoal e familiar. Portanto, podemos dizer que planejar é decidir antecipadamente o que fazer, porque fazer, como fazer, quando fazer e com quais recursos, sejam eles financeiros, materiais ou humanos.

As 7 Etapas  básicas de um planejamento estratégico 



1.Definir: visão e missão do negócio

Visão
        É a direção em que a empresa pretende seguir, ou ainda, um quadro do que a empresa deseja ser. Deve refletir as aspirações da empresa e suas crenças.
Fórmula base para definição da visão:
Verbo  em perspectiva futura + objetivos desafiadores + até quando.

Missão
       A declaração de missão da empresa deve refletir a razão de ser da empresa, qual o seu propósito e o que a empresa faz e trabalha no seu dia a dia.
Fórmula base para definição da Missão:
Fazer o quê + Para quem (qual o público?) + De que forma.

2. Analisar o ambiente externo 
Uma vez declarada a visão e missão da empresa, seus dirigentes devem conhecer as partes do  ambiente que precisam monitorar para atingir suas metas. É preciso analisar as forças  macroambientais (demográficas, econômicas,  ambientais, tecnológicas, políticas, legais, sociais e culturais) e os atores microambientais (consumidores, concorrentes, canais de distribuição, fornecedores) que afetam sua habilidade de obter lucro.

Oportunidades
      Um importante propósito da análise ambiental é identificar novas oportunidades de marketing e mercado. 

Ameaças
      Ameaça ambiental é um desafio decorrente de uma tendência desfavorável que levaria a deterioração das vendas ou lucro. 

3. Analisar o ambiente interno

       Você saberia dizer quais são as qualidades e o que pode ou deve ser melhorado na sua empresa? Esses são os pontos fortes/forças e fracos/fraquezas do seu negócio.

4. Analisar a situação atual 
         Depois de identificados os pontos fortes e pontos fracos e analisadas as oportunidades e ameaças, pode-se obter a matriz FOFA (fortalezas, oportunidades, fraquezas e ameaças) ou se preferir pode usar a sigla  SWOT (strengths, weaknesses, opportunities e threats). Inclua os pontos fortes e fracos de sua empresa, juntamente com as oportunidades e ameaças do setor, em cada uma das quatro caixas abaixo:


A análise FOFA fornece uma orientação estratégica útil  devendo ser sempre revista.
5. Definir objetivos e Metas
      São elementos que identificam de forma clara e precisa o que a empresa deseja e pretende alcançar. A partir dos objetivos e de todos os dados levantados acima, são definidas as metas.
      As Metas existem para monitorar o progresso da empresa. Para cada meta existe normalmente um plano operacional, que é o conjunto de ações necessárias para atingi-la;   Toda meta, ao ser definida, deve conter uma unidade de medida a sua escolha e onde se pretende chegar. Qual o prazo de um bom Plano estratégico? Depende do tamanho da sua empresa e aonde quer chegar,  há empresas com planejamento para 5, 10, 20, 30, 50, 100 anos 
 
6. Formular e Implementar a estratégia 
     Até aqui, você definiu a missão e visão do seu negócio e definiu metas e objetivos visando atender sua missão em direção à visão declarada. Agora, é necessário definir-se um plano para se atingir as metas estabelecidas, ou seja, a empresa precisa de uma formulação de estratégias para serem implantadas nos mais diversos setores da empresa, a exemplo em vendas, compras, administração, produção, recursos humanos

       Após o desenvolvimento das principais estratégias da empresa, deve-se adotar programas de apoio detalhados com responsáveis, áreas envolvidas, recursos e prazos definidos.

7. Gerar Feedback, Controlar e Monitorar
     À medida que implementa sua estratégia, a empresa precisa rastrear os resultados e monitorar os novos desenvolvimentos nos ambientes interno e externo. Alguns ambientes mantêm-se estáveis de um ano para outro. O ideal é estar sempre atento à realização das metas e estratégias, para que sua empresa possa melhorar a cada dia.
Mas não guarde o planejamento para si, ele deve ser compartilhado com os demais colaboradores é claro que  algumas informações talvez tenham que ficar  restritas.


Fique atento trace o seu planejamento e faça o seu sucesso....

O que faz é só consultoria?

O que faz é só consultoria? Não! Coordeno Talentos para que suas empresas possam alcançar os melhores resultados em Marketing, Vendas com um melhorar resultado operacional Final.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

A importância dos indicadores no pequeno negócio.


A importância dos indicadores no pequeno negócio.

Para a gestão de um negócio é preciso definir alguns pontos que devem ser medidos. Você não consegue administrar o que você não mede e não consegue saber se está tendo sucesso ou fracasso se não gerenciar. Para o pequeno negócio o desafio é implementar indicadores, pois em geral o negócio inicia de forma empírica e vai se adaptando ao mercado.
Todo empreendimento tem objetivos e para alcançá-los é necessário gerenciar indicadores que permitam tomar decisões corretas. Os indicadores fazem saltar aos olhos “luzes de alerta” para detalhes do negócio que precisam ser corrigidos. Mas como detectar um problema e solucioná-lo há tempo se não houver um indicador?
Dentre os indicadores financeiros mais importantes está a lucratividade, que é o percentual de ganho que a empresa consegue gerar. É preciso saber se há lucro na venda de produtos ou serviços. Já a rentabilidade demonstra ao empresário a velocidade de retorno do capital investido. Se a empresa não trás retorno é preciso mudar algo ou investir em outra área.
Sem vendas não há indicadores financeiros que deixem o empreendedor dormir em paz. Qual o potencial do mercado em que você está inserido? Qual fatia lhe pertence? O que é melhor para o seu negócio: Muitas vendas com baixa lucratividade ou poucas vendas com alta lucratividade? Você mede a satisfação dos seus clientes quanto a produto e atendimento?
Um dos motivos pelos quais sua empresa pode não ter um bom desempenho pode ser ligar aos indicadores de recursos humanos. O absenteísmo indica as faltas não programadas ao trabalho. A rotatividade é a relação existente entre as admissões e demissões ocorridas num dado período, sejam elas voluntárias ou involuntárias. E então, a sua empresa é um bom lugar para se trabalhar?
Caso o negócio seja uma pequena indústria, a lucratividade pode estar se esvaindo se o empreendedor não medir importantes indicadores como retrabalho, reprocesso, perdas e refugo. É preciso saber a capacidade máquina, tempo de setup, bem como a produtividade por operador.
Quem quer crescer precisa saber para onde está indo, como e com que velocidade. Só indicadores podem apontar estas informações com efetividade. É por causa da falta de mensuração que alguns empresários dizem: Algo está errado com a minha empresa e eu não sei ao certo o que!