segunda-feira, 11 de maio de 2020

LIVE sobre as Lendas de Balneário Piçarras

LIVE sobre as Lendas de Balneário Piçarras acontece amanhã (12), às 19h
11 de Maio de 2020 às 16:51
Lendas como a das Ilhas Itacolomi, Rio Piçarras e Ilha Feia serão contadas pela artista Bel Bandeira no Facebook da Fundação Municipal de Cultura.
Clique para ver todas as Imagens
Na terça-feira (12), a Fundação Municipal de Cultura de Balneário Piçarras realizará sua primeira Transmissão ao Vivo. A LIVE acontecerá às 19h através do Facebook do órgão. O tema será “As Lendas de Balneário Piçarras”, contadas virtualmente pela artista local e educadora Bel Bandeira. As histórias são baseadas nas criações de Luiz Ferreira da Silva (in memoriam), um dos principais nomes da literatura do município.
“As Lendas serão contadas de forma extrovertida, envolvente e interativa”, garante Bel Bandeira. A apresentação terá duração de uma hora e utilizará como principal referência o Livro "As Lendas", de Luiz Ferreira da Silva, financiado pelo Governo Municipal, através do Edital Ivone Pires de Apoio à Cultura em 2014. O livro traz as lendas das Ilhas Itacolomi "Quando o Amor é Eterno", da Gruta da Ilha Feia "A Gruta dos Anjos", do Rio Piçarras "A Serpente Ruiva", da Velha Amendoeira Torta "A Árvore dos Idosos" e das nossas Lagoas "Um Amor Impossível".
A transmissão ao vivo de contação de histórias é apenas um dos projetos virtuais que a Fundação Municipal de Cultura tem planejando para executar neste mês de maio. “A cultura em Balneário Piçarras continua viva, acontecendo, mesmo com o distanciamento social. Estamos buscando novas formas de propagar a arte e cultura também auxiliando as pessoas neste momento difícil, trazendo mais leveza e entretenimento”, afirma a presidente da Fundação Municipal de Cultura, Silvana Rebello.


domingo, 3 de maio de 2020

Planejamento Humanistico



Em virtude de tudo o que   vivemos neste período de pandemia,  ao pensarmos  nos  planejamentos ja traçados de olho  nas questão dos objetivos centrais do planejamento dentro das organizações as quais vem  servindo  aos propósitos da produção, da tecnologia e da organização empresarial das formas de prestação de serviços  na busca continua de resultados com os mais diversos indicadores  estamos as voltas de revermos todos os  processos de planejamento com suas ações para que doravante o centro dos objetivos  volte-se para o ser Humano  e seu desenvolvimento como disse Simon Sinek
100% dos clientes são pessoas. 100% dos funcionários são pessoas. Se você não entende de pessoas, você não entende de negócios muito embora o marketing tenha como objetivo atender as necessidades dos clientes  e da empresa, porem estávamos  presos a valores muitas vezes conflitantes do ponto de vista humanista  por um lado e das demandas da sociedade industrializada, por outro,  erámos e condicionávamos que existia uma harmonia  pré-estabelecida entre os dois, agora para vencer as crises do isolamento, do tédio, da ansiedade, da solidão, dos medos e  dos afetos eventuais  será necessário as empresas organizações a reconhecerem  todos estes conflitos e as convido para fazerem do sistema homem novamente o centro do planejamento se quisermos ter sucesso, pois estamos isolados mas conectados e mudando nossos valores, pois agora tem se a certeza que todos nós somos um...

Mãos à obra, faça

quarta-feira, 22 de abril de 2020

Planejamento estratégico: o que é, como fazer e benefícios esperados



Planejamento estratégico: o que é, como fazer e benefícios esperados

           Nos dias de hoje, um dos conceitos mais populares entre empreendedores e gestores é o de  Projetos de Planejamento Estratégico.
           A maioria dos administradores ouve e compartilha que é um processo determinante para o sucesso de uma organização. Em contrapartida, infelizmente, poucos conhecem os reais benefícios de uma empresa ao possuir uma estratégia bem planejada e implementada. Como resultado, poucas possuem objetivos claros e bem definidos, tampouco planos que as encaminhem rumo ao desenvolvimento esperado.
           De maneira geral, planejar estrategicamente uma organização significa definir um método eficaz de utilização dos recursos disponíveis visando atingir um posicionamento cobiçado. Ou seja, com uma estratégia bem estruturada, uma empresa terá objetivos e diretrizes estabelecidos de maneira coerente, além de ações pensadas e projetadas para alcançá-los.
           Ficou interessado no tema e acha que seu negócio possui essas necessidades? Então passemos a entender como montar sua estratégia empresarial ideal para seu empreendimento.
1-Defina seu público-alvo e sua proposta de valor
      Antes de começar a planejar estratégias de crescimento para o negócio, é imprescindível que já estejam definidos o mercado que se deseja atingir e a proposta de valor do negócio.
       Para planejar a estratégia de maneira coerente com o negócio e com a realidade do mercado, é muito importante que se tenha determinado os segmentos de clientes que podem ser atingidos, seus recursos disponíveis e os benefícios, características e diferenciais do produto ou serviço ofertado.
      Uma ferramenta muito utilizada nessa etapa de estruturação inicial é o Business Model Canvas, que permite a elaboração de Modelos de Negócios focados na oferta de valor.

2- Determine os princípios essenciais do negócio
       Definidos o segmento de clientes e as propostas de valor, é imprescindível determinar um conjunto de características que represente uma cultura organizacional, identificando e diferenciando o seu negócio frente a concorrência.               Para isso, se popularizou um conjunto de definições que representam os princípios essenciais da organização:
Defina sua missão, visão e valores.
·       missão representa a razão de existência e o propósito do negócio, possibilitando a compreensão da atuação da empresa.
·       Já a visão é a descrição do destino esperado para o empreendimento, ou seja, o que se deseja atingir futuramente.
·       Os valores determinam os princípios pelos quais a organização preza e que servem de parâmetro para o comportamento de seus colaboradores.
·        
3- Estude o ambiente em que a empresa está inserida
      Após a determinação das características que identificam o negócio, deve-se entender o posicionamento atual da organização. Isso é possível a partir da comparação entre as características do ambiente interno – suas forças e fraquezas – e a situação do ambiente externo – oportunidades e ameaças.
Por isso, é imprescindível que se conheça e se valorize as características da empresa.     Além disso, pesquisar e se atualizar sempre sobre a situação do mercado – clientes, concorrentes, fornecedores etc – também é essencial para entender o posicionamento estratégico do negócio.

4- Elabore objetivos estratégicos a serem alcançados
       Conhecido o posicionamento estratégico atual do negócio, já é possível planejar o desenvolvimento esperado. Dessa forma, é o momento de elaborar objetivos que retratem os resultados que a empresa pretende atingir futuramente.
Os objetivos devem sempre ser atingíveis e coerentes com os princípios essenciais do negócio. Além disso, é de extrema importância que sejam acompanhados por indicadores de desempenho, possibilitando seu futuro acompanhamento e controle.
5- Estruture planos de ação para o atingimento dos objetivos
       Após a definição dos resultados esperados para a empresa, deve-se planejar ações que permitam atingir o desenvolvimento pensado.
Nesse momento, será necessário pensar no que deverá ser feito, nos recursos necessários, na ordem cronológica de implementação e nos prazos para cada ação. Dessa forma, terá sido planejado um conjunto de ações que deverão resultar no atingimento do objeto esperado.
6- Execute o planejamento estratégico
      Depois de aprender sobre estratégia empresarial e definir toda a parte teórica do plano, chegou a hora de mobilizar e alinhar a organização, buscando executar o que foi planejado. Nesse momento, deve-se estar sempre alinhado com os planos de ação, a fim de cumprir com tudo o que foi pensado.

7- Replaneje frequentemente para perceber os benefícios
       Lembre-se que o mercado está em constante mudança. Contínuas e imprevisíveis alterações nas características dos consumidores, surgimento de novos produtos, concorrentes e fornecedores e a mudança no posicionamento estratégico da organização implicam na necessidade de ininterrupta revisão dos objetivos e ações.
Esse replanejamento constante garante que o negócio esteja sempre atualizado e progredindo.
     Tendo sido eficiente no planejamento e execução da estratégia do negócio, diversos benefícios são esperados, como: maior alinhamento da empresa, melhor conhecimento sobre os cliente e concorrentes, maior comprometimento dos colaboradores a atingir os objetivos traçados e maior eficiência na tomada de decisões.
     Agora é hora de começar: planejamento estratégico
Conforme relatado, um planejamento estratégico completo requer muito mais esforço e conhecimento do que muitos pensam. Entretanto, quando bem elaborado, resultam em muitos benefícios que podem ser diferenciais para o sucesso de uma organização.
      Acredita que seu negócio necessita dos benefícios citados? Com esse post, esperamos que você se sinta pronto para começar o planejamento estratégico da sua empresa. Deixe suas dúvidas e sugestões sobre o artigo nos comentários para que continue escrevendo.
Quer Saber  um Planejamento Estratégico para a sua empresa nos contate whats app 47 9.99633140 

terça-feira, 14 de abril de 2020

Faça Já o Plano de Marketing digital para sua empresa de forma prática.



Marketing Digital: O Que É, Como Fazer e Estratégias [2020]Será bem prático mas antes apenas um contexto.
É certo que muita gente se pergunta como fazer um plano de marketing digital antes de qualquer outra ação de divulgação online, mas é verdade também que esse percentual ainda é muito pequeno quando se fala de divulgação de pequenas e médias empresas.
A maioria delas se lança no marketing digital sem qualquer tipo de planejamento e os resultados são catastróficos, pois é o planejamento de marketing que define objetivos, metas e cronogramas.
O processo de elaboração de um plano de marketing digital é visto por muita gente como uma etapa tediosa e muito teórica e por isso é muitas vezes ignorado ou relegado a um segundo plano.
E concordo que a etapa operacional, a mão na massa mesmo, é bem mais instigante e desafiadora, mas sem um planejamento estratégico em marketing digital, você estará navegando as escuras.
Ao criar um plano de marketing digital você já estará com meio caminho andado em direção ao sucesso, pois esta é a maneira certa de se começar.
Para lhe ajudar nisso, a equipe da Academia do Marketing elaborou um passo a passo contendo os principais pontos que você deve incluir no seu planejamento.
Dicas sobre como elaborar um plano de marketing digital
Se você quer saber como fazer um plano de marketing digital de sucesso, leia atentamente o pequeno roteiro que criamos e faça as anotações que julgar devidas para adaptá-lo às suas necessidades.
1 – Defina seus objetivos
Uma recomendação fundamental para quem deseja saber como elaborar um plano de marketing digital: Antes de tudo, defina muito claramente seus objetivos. Ao traçar um objetivo você deve especificar claramente o que deseja com as suas ações de marketing digital para que seu planejamento seja bem focado.
Entre estes objetivos, podemos ter, por exemplo:
  • Exposição e reconhecimento da marca
  • Geração de Leads – Clientes em potencial
  • Vendas diretas no ambiente físico ou online
  • Geração de pontos de relacionamento com seus clientes
  • Atendimento e orientação ao cliente
Outro ponto de orientação importante são as metas a serem alcançadas, para que possamos definir as métricas aplicáveis a cada caso.
Estabelecer prazos de execução também é essencial, já que devido ao volume de trabalho envolvido em qualquer campanha de marketing digital, a questão do tempo pode facilmente fugir  do controle.
2 – Pesquise e conheça o seu público-alvo
Uma das etapas mais críticas para quem vai criar um plano de marketing digital é a de pesquisa das características do público alvo. Atualmente temos diversas ferramentas na Internet para saber com exatidão qual é perfil de visitantes de um determinado site.
Com base nesta análise podemos traçar o perfil de um determinado público e assim adequar a linguagem e o conteúdo a ser produzido para nossas ações.
Além disso você também poderá direcionar suas campanhas para quem realmente interessa, usando ferramentas de segmentação disponíveis por exemplo, no Google Ads e Facebook Ad.
Depois de definir seu público-alvo, crie uma Persona de Marketing, ou seja, um consumidor em potencial imaginário que possui todas as características do grupo que você deseja impactar.
A personificação do seu público vai ajudá-lo bastante na hora de entender o comportamento do grupo, suas necessidades e anseios.

Alavanque sua empresa com o Marketing Digital | Gendo Blog3 – Estabeleça estratégias de marketing digital
Outra dica importante para quem deseja saber como fazer um plano de marketing digital, é desde o início definir muito bem quais serão as suas principais estratégias de marketing digital.
Dependendo do segmento em que você estiver trabalhando, algumas estratégias funcionam melhor do que outras. Por exemplo, moda e acessórios se sai muito bem utilizando o marketing nas redes sociais.
Para setores que atendem a uma necessidade, ou seja que oferecem produtos ou serviços que as vezes as pessoas não sabem onde encontrar, o marketing de busca tende a dar resultados melhores.
4 – Defina os canais de marketing  que ira utilizar
As opções para divulgação de uma marca na Internet são muitas e é preciso, logo no início do projeto, definir quais são os canais mais apropriados para cada tipo de campanha em função do público alvo que pretendemos atingir.
A variedade de canais não implica na obrigação de usá-los todos. Você deve usar apenas aqueles que, por suas características, têm potencial para gerar tráfego qualificado para o seu site.
Você até pode usar um leque amplo de canais no início da campanha, mas deve monitorá-los de perto para identificar aqueles que não estão gerando tráfego ou conversão relevante para o site e então descartá-los.
5 – Treine sua equipe 
No marketing digital moderno não há mais espaço para amadorismo, por isso, um dos pontos que você deve colocar em seu plano de marketing digital é justamente o da capacitação técnica da equipe. Como fazer um plano de marketing digital e colocá-lo para rodar sem gente capacitada para isso?
Hoje em dia, qualquer ferramenta de marketing online requer treinamento e técnica, por isso é essencial ter pessoal capacitado para sua utilização.
Alguns empresários se sentem tentados a entregar seu marketing digital ao “rapaz da contabilidade que saca de Internet”, e depois não entendem o porque do fracasso de suas campanhas. Não existe mais espaço para amadorismo ou improvisação no marketing online.
Saber como navegar na Internet é uma coisa e saber como fazer um plano de marketing digital, implementá-lo com profissionalismo e monitorar de forma adequada seus resultados é outra coisa completamente diferente.
Nessa parte, a equipe da Academia do Marketing pode lhe ajudar bastante com nossa grade de cursos e programa de formação em marketing digital.
Com mais de quinze anos no mercado, nossa equipe vem desenvolvendo, atualizando e aperfeiçoando treinamentos nas mais variadas área do marketing online, nos formatos presencial e também online.
6 – Determine o conteúdo e o que sera divulgado
Essa é uma etapa das mais importantes de todo o processo. Como fazer um plano de marketing digital atualmente passa inevitavelmente pela produção de conteúdo, é preciso colocar esta entre suas prioridades.
A comunicação parte do princípio da afinidade de interesses e por isso precisamos desenvolver um conteúdo que crie um ponto de contato entre a empresa e o público que queremos impactar.
O consumidor moderno está em busca de informações antes de comprar alguma coisa e essa informação precisa ter qualidade e ser facilmente encontrada. Antes de qualquer oferta, é necessário disponibilizar conteúdo informativo, como em blogs, por exemplo.
Um dos maiores erros de marketing digital é justamente não ter um conteúdo de qualidade em seu site para poder iniciar o relacionamento com seus clientes em potencial.
7 – Elabore um cronograma para suas ações
Definir um cronograma de ações é fundamental para que possamos criar uma sinergia no marketing digital como forma de potencializar cada ação isolada.
No marketing online moderno, existe uma correlação muito grande entre os diversos canais e explorar esse potencial de alavancagem é muito importante.
Peças promocionais, marketing de conteúdo, redes sociais e tudo mais precisa estar alinhado em termos de veiculação.
marketing digital atualmente é composto por uma sucessão de ações e por isso é preciso ter todos os passos muito bem definidos e cronometrados para que as diversas ações não acabem por se sobrepor e perder seu verdadeiro potencial.
Se você quer saber como fazer um plano de marketing digital, um dos conceitos que deve ficar bem claro é que não existem ações isoladas.
O que é Marketing Digital - Blogando - Medium8 – Defina como será feito o monitoramento de resultados
Antes de pensar em como elaborar um plano de marketing digital, precisamos definir como essas ações online serão acompanhadas e verificadas em termos de resultados.
Para isso é necessário definir quais as ferramentas de monitoramento, como o Google Analytics, por exemplo, serão utilizadas para mensurar resultados.
No caso de mídias sociais, é preciso também definir qual será a ferramenta utilizada para acompanhamento de menções e outras métricas específicas dessa categoria.
Google Analytics é uma ferramenta bem completa, mas não é o suficiente para acompanhamento, por exemplo, de engajamento nas redes sociais.
Como você pode ver, a elaboração de um plano de marketing digital é trabalhosa e demorada, mas cada passo é importante para que os resultados surjam da forma desejada.
O planejamento é a alma do negócio em qualquer empreendimento e no marketing digital não é diferente.
Como fazer um plano de marketing digital é um assunto que não dá para resumir em um único artigo, por mais detalhado que ele seja, sugerimos que para expandir a sua visão sobre os diversos canais de marketing digital, você também leia o nosso artigo Estratégias de Marketing Digital onde discutimos em maiores detalhes cada uma das dimensões do marketing digital e suas estratégias.
Agora que você já sabe como fazer um plano de marketing digital é hora de começar a elaborar o seu. Boa sorte e conte sempre conosco!


Dicas para empresários e empreendedores em tempos de Covid-19 e pós Pandemia



METODOLOGIAS PARA OS EMPREENDEDORES FUGIREM DA CRISE - Brasil ...O objetivo deste texto e  orientar a adotar práticas respostas a crises, além de apresentar alguns desses desafios e como as organizações podem responder para proteger seu pessoal e navegar por uma situação incerta fornecendo  fatos e ideias sobre a situação atual do Covid-19 para ajudar os tomadores de decisão a entender as melhores práticas. Além do desafio humanitário, há implicações para a economia, os negócios e o emprego em geral.

Já sabemos que O Covid-19 foi declarado uma pandemia global pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e o ritmo de casos confirmados está se acelerando. As implicações para os varejistas são numerosas, significativas e com probabilidade de expansão — em primeiro lugar, a saúde e a segurança de funcionários e clientes, além de rápidas mudanças na demanda, mudança de canal (de lojas para canais digitais) e interrupções operacionais (principalmente na cadeia de suprimentos), mas implicações potenciais de longo prazo para redes de lojas etc.)
Embora alguns varejistas (por exemplo, mercearias, drogarias) tenham experimentado picos de demanda de curto prazo como resultado da acumulação de estoque, muitos estão enfrentando uma pressão descendente — enquanto essa perspectiva é mais relevante para esse último grupo, mesmo aqueles que experimentam ganhos temporários podem precisar planejar e agir de maneira diferente.
Dada a incerteza em torno do caminho que o vírus seguirá, os varejistas podem considerar uma abordagem de dois horizontes — ações de segmentação por local/ região, considerando os níveis locais de infecção.
·       Gama de ações imediatas: Priorizar a segurança dos funcionários e dos clientes; remapear o marketing e a mão-de-obra para capturar a demanda variável; repensar a cadeia de suprimentos e suprimentos para minimizar as interrupções; gerenciar por dinheiro.
·       Gama de ações de planejamento intermediárias: Cenários de contingência para as áreas acima, além de estratégias competitivas (por exemplo, posição para vencer se o Covid-19 desencadear desaceleração econômica), implicações na rede de lojas etc., a serem adotadas à medida que o caminho do Covid-19 se tornar mais claro.
Que ações a serem executadas são extremamente importantes, mas também é como executá-las — a empresa vê muitas empresas defendendo “centros nervosos” da resposta Covid-19 e acredita que os varejistas poderiam imediatamente estabelecer estruturas formais semelhantes para realizar testes de estresse financeiro, monitorar, planejar, comunicar e agir à medida que essa situação se desenrola.
Tráfego de compradores:
-20 to -30% – Diminuição do tráfego de pedestres em áreas comerciais altamente impactadas (por exemplo, São Paulo, Rio de Janeiro Nova York, DC) com 50% ou mais relatados para algumas lojas com maior tráfego turístico.
+ 25% – Tráfego e comércio online aumentando para determinados subsetores de varejo, como supermercados online e mesmo para aquela mercearia ai perto da sua casa se eles souberam aproveitar o momento
·       Modelos de atendimento
+ 600% – Carrefour relatou aumento nas entregas de alimentos frescos durante o Ano Novo Lunar na China.
·       Mudanças de categoria
150% + Crescimento de remédios para resfriado, tosse e gripe vendidos sem receita médica, EPI de vírus até 800%.
 -5 a -15% – Queda nas vendas de novas categorias para supermercados nos EUA e pode resultar em 10% + pressão na linha superior e 40% na linha inferior durante a crise

Os varejistas podem considerar uma resposta em três partes ao Covid-19

Parte 1: Proteger as pessoas e os negócios – ação imediata
·       Crie um “centro nervoso” de resposta a crises para definir e alinhar líderes em cenários potenciais, criar uma única fonte de verdade e orquestrar toda a organização.
·       Proteja os funcionários atualizando as políticas de viagens, reuniões, bônus e licenças médicas.
·       Estresse a segurança do cliente com mais rigor e frequência.
·       Limpeza e higiene na linha de frente
·       Comunique-se frequentemente com funcionários e clientes sobre o que você está vendo e fazendo.
Empreendedorismo e 5 dicas para enfrentar a crise 
Parte 2: Ajustar o modelo operacional – ação imediata
·       Remapear os gastos de marketing em canais digitais para capturar a demanda variável
·       Repensar a fonte de suprimento e a cadeia de suprimentos devido a interrupções de produção, transporte e demanda
·       Recompensa o modelo de operação da loja entre funcionários, horário de funcionamento/ dias, possíveis fechamentos de lojas
·       Gerencie por dinheiro em toda a empresa: busque criar flexibilidade e potencial para continuar investindo para impulsionar o crescimento que passa por crises

Parte 3: Crie cenários para realizar mudanças adicionais – planejamento intermediário
·       Amplie o escopo do “centro nervoso” da resposta a crises para criar cenários de contingência, defina a estratégia competitiva a ser adotada à medida que o caminho do Covid-19 se torne mais claro
·       Prepare e planeje implicações de longo prazo na rede de lojas e/ ou cadeia de suprimentos

Proteger os funcionários: aprecie o trabalho em casa
7 práticas recomendadas para permitir home office
1 – Promova uma cultura propícia ao trabalho remoto – conversas frequentes com membros da equipe e clientes, responsabilidade proativa, transparência, comunicação eficiente, alcance e atualizações.
2 – Adote um conjunto completo de ferramentas digitais para criar uma sala de equipe virtual e facilitar a efetiva co-criação, comunicação e tomada de decisão.
3 – Crie cadências regulares (check-in/ check-outs, ‘standups’) e caminhos claros de decisão/ escalação para remover bloqueadores e dependências de endereço.
4 – Estruture o trabalho em pequenas equipes que maximizem a continuidade contra a obtenção de objetivos e resultados concretos.
5 – Crie uma única fonte de verdade entre o processo e o conteúdo, ou seja, transparência nas metas e prioridades, comunicação sobre o progresso e verifique se a equipe trabalha nas mesmas versões de entregas.
6 – Gerencie cibersegurança e conscientização usando ferramentas de colaboração digital.
7 – Adote um teste e aprenda a mentalidade – participe, aprenda e melhore as formas de trabalhar.
Gama de ações imediatas que os varejistas podem considerar
·       Transferir gastos de marketing de massa (por exemplo, TV/ rádio) para digital para capturar a mudança da demanda de tijolo e argamassa para online; mudar do funil superior para o funil inferior em geral, mas também os gastos médios de marketing e adaptados aos mercados locais.
·       Lance incentivos (por exemplo, frete grátis, ofertas de construção de cestas) e ofertas (entrega de jantares em família) para obrigar os consumidores online que podem estar em grande parte em território nacional.
·       Pareça ser mais cirúrgico com a atividade promocional nas lojas, dada a mudança de navegação para compras; aumente a atividade promocional online para conquistar consumidores/ compradores online; prepare-se para lidar com o inventário potencialmente significativo no final da temporada.
·       Seja mais intencional com relação à responsabilidade social corporativa para criar força de marca, pois os consumidores — principalmente a geração Z e a geração do milênio — buscam autenticidade e cuidado, e como as empresas os tratam e seus funcionários nessa situação deixam uma impressão.
·       Altere potencialmente a maneira como você comercializa movimentadores velozes — por exemplo, mercearias que jogam paletes de papel, água e talvez enlatados; mover itens sob demanda para a frente da loja para facilitar o acesso.
·       Procure reduzir os níveis de pessoal da loja e repense os requisitos mínimos de turno — a curto prazo, fornecer experiências aprimoradas ao cliente pode ser menos importante se as compras forem sobre transações/ realização versus descoberta/ inspiração.
·       Crie transparência e flexibilidade em torno de turnos de trabalho disponíveis, chamadas, etc — tanto para reduzir os níveis de pessoal quanto para preencher em caso de absenteísmo.
·       Procure reduzir o horário da loja sempre que possível; considere fechar temporariamente as lojas com maior impacto (ou fechar permanentemente as lojas que já se sabe estarem no balão “manter/ fechar”).
Empreendedorismo: Novos negócios em tempos de crise – Jornal ...
·       Aumente o foco de expedição da loja para usar mão de obra subutilizada nas lojas; considere aumentar as lojas com os distribuidores para manter o serviço, a qualidade e a precisão dos clientes

Operações da loja
·       Eleve os modelos de fluxo de caixa para projetar impactos à medida que os negócios respondem às mudanças na demanda.
·       Realize revisões regulares do fluxo de caixa para dar suporte a exceções às decisões planejadas de compra, promoção ou precificação.
·       Use a torre de controle de gastos para examinar cada dólar gasto para economizar dinheiro a curto prazo (por exemplo, adiar projetos, cortar custos discricionários/ viagens, gastar muito com marketing que não funciona etc).
·       Identifique e monitore os limites de capital de giro, onde há maior escrutínio e controles para suportar uma desaceleração maior que o planejado; avalie a margem do pacto e criar cenários.
·       Considere congelar gastos de capital e contratar toda a organização.
·       Prepare o balanço negociando com fornecedores/ bancos condições favoráveis ​​(por exemplo, pagamentos de juros, pagamentos a fornecedores, ampliando linhas de crédito atuais e/ ou solicitando novo crédito)

Gama de planos intermediários que os varejistas podem considerar
·       Crie resiliência para uma potencial desaceleração (e um plano para vencer saindo)
·       Expanda o escopo do “centro nervoso” da Covid-19 para orientar estratégias de resposta de longo prazo, além de ações imediatas, e continuar a liderar a equipe de comunicação interna e externa com subordinação direta para fornecer comunicações de alta frequência, claras e transparentes
·       Continue criando um colchão de caixa e margem (por exemplo, desinvestir ativos não essenciais) para enfrentar a tempestade e permitir movimentos estratégicos e investimentos em crescimento.
·       Resista a cortar muito na mão de obra da linha de frente — em vez disso, invista para evitar a deterioração da experiência do cliente (continue treinando remotamente e ferramentas para vendas/ serviço)
·       Adquira seletivamente ativos de alto valor em mercados em dificuldades (marcas, frentes de lojas premium).
·       Faça apostas de crescimento, como teste pop-ups em novas geografias, categorias adjacentes, novos formatos, imóveis atualizados.
·       Use seletivamente a oportunidade de aprimorar talentos à medida que jogadores angustiados anunciam demissões.

Construa plano de contingência de longo prazo
·       Refine a rede de lojas e distribuição após o novo normal (por exemplo, reduza a metragem quadrada e atualize os formatos; procure agressivamente reavaliar/ renegociar arrendamentos existentes e adquirir novos arrendamentos em um mercado em dificuldades.
·       Procure opções alternativas de fornecimento e renegocie contratos; faça alterações na cadeia de suprimentos que sejam mais adequadas para o comércio eletrônico a longo prazo; garanta/ negocie prioridade adequada à medida que a capacidade voltar a ficar online e estabelecer expectativas claras nos casos em que novos atrasos forem evidentes.

Pensamentos finais e o que observar
·       Ainda de acordo com o relatório, é importante agir de maneira diferente e rápida: a maioria dos varejistas define seus planos anuais há muito tempo, mas agora esses planos estão amplamente obsoletos e não levarão ao sucesso.
·       Embora não se saiba como o Covid-19 se desenvolverá a longo prazo, muitas das implicações de curto prazo são aparentes e a ação decisiva deve ser considerada agora.
·       Governe como um grande programa de mudanças: o alcance e o impacto do Covid-19 corresponderão ao de outras grandes interrupções, como uma integração de fusões ou um amplo programa de transformação, e os varejistas poderão governar com uma equipe de líderes com experiência e dedicação semelhantes, estabelecendo e liderar uma crise no “centro nervoso” para sobreviver agora e crescer depois.
·       Caminho continuado do vírus e cenários resultantes: embora as ações de curto prazo devam ser tomadas sem pausa, os planos de médio prazo devem ser informados de como o vírus se desenrola — entender qual cenário provavelmente se desenrolará será uma entrada importante.
·       Os subsetores e as regiões de varejo serão impactados de maneira única: embora essa perspectiva inicial se baseie amplamente em um varejista típico de bens discricionários — ou seja, um que não se beneficie da demanda de estoque de curto prazo —, os impactos serão significativamente diferentes por subsetor, como vestuário vs. mercearia, por exemplo.
·       O sentimento e o comportamento do consumidor terão muitos sinais: uma compreensão completa do sentimento do consumidor — os padrões nos mercados que começaram a se recuperar e as tendências naquelas cujas situações estão piorando — ajudarão os varejistas a planejar e reagir com mais eficiência.
Texto utilizado da https://www.ecommercebrasil.com.br/noticias/relatorio-mckinsey-aponta-diretrizes-varejistas-coronavirus-covid-19/ Para conferir o relatório na íntegra (em inglês) para acessar a página da McKinsey & Company.